transubstanciação



Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. OK | Más información
 
 

O que e transubstanciação?



Pergunta: "O que e transubstanciação?"

Resposta:
Transubstanciação e uma doutrina da Igreja Catolica Romana. O Catecismo da Igreja Catolica define esta doutrina na seção 1376:

“O Concilio de Trento resume a fe catolica ao declarar: ‘Por ter Cristo, nosso Redentor, dito que aquilo que oferecia sob a especie do pão era verdadeiramente seu Corpo, sempre se teve na Igreja esta convicção, que o santo Concilio declara novamente: pela consagração do pão e do vinho opera-se a mudança de toda a substância do pão na substância do Corpo de Cristo Nosso Senhor e de toda a substância do vinho na substância do seu Sangue; esta mudança, a Igreja Catolica denominou-a com acerto e exatidão Transubstanciação".

Em outras palavras, a Igreja Catolica Romana ensina que uma vez que um padre ordenado abençoe a pão da Ceia do Senhor, este e transformado na real carne de Cristo (apesar de manter a aparência, odor e gosto de pão); e quando ele abençoa o vinho, este e transformado no real corpo de Cristo (apesar deste manter sua aparência, odor e gosto de vinho). Tal conceito e biblico? Ha algumas Escrituras que, se interpretadas literalmente levariam à “real presença” de Cristo no pão e vinho. Encontramos exemplos em João 6:32-58; Mateus 26:26; Lucas 22:17-23; e I Corintios 11:24-25. A passagem mais citada e João 6:32-58 e principalmente os versos 53-57: “Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vos mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no ultimo dia. Porque a minha carne verdadeiramente e comida, e o meu sangue verdadeiramente e bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, tambem vivera por mim.”

Os catolicos romanos interpretam esta passagem literalmente, e aplicam a mensagem à Ceia do Senhor, que intitulam “Eucaristia” ou “Missa”. Os que rejeitam a ideia da transubstanciação interpretam as palavras de Jesus em João 6:53-57 figurativamente ou simbolicamente. Como poderemos saber que interpretação esta correta? Demos graças porque Jesus tornou muito obvio o que quis dizer. João 6:63 declara: “O espirito e o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espirito e vida.” Jesus especificamente afirma que suas palavras são “espirito”. Jesus estava usando conceitos fisicos, o comer e o beber, para ensinar verdades espirituais. Assim como consumir comida fisica e bebida sustenta nossos corpos fisicos, assim são nossas vidas espirituais salvas e edificadas por recebê-Lo espiritualmente, pela graça por meio da fe. Comer a carne e beber o sangue de Jesus são simbolos de recebê-Lo totalmente e completamente em nossas vidas.

As Escrituras declaram que a Ceia do Senhor e um memorial ao corpo e sangue de Cristo (Lucas 22:19; I Corintios 11:24-25), não o verdadeiro ato de consumir Seu corpo fisico e sangue. Quando Jesus falava, em João capitulo 6, Ele ainda não tinha tido a Última Ceia com Seus discipulos, na qual Ele instituiu a Ceia do Senhor. Compreender João capitulo 6 como sendo a Ceia do Senhor / Comunhão Cristã, portanto, não se justifica. Para uma discussão mais completa deste assunto, leia por favor nosso artigo sobre Santa Eucaristia.

O motivo mais serio por que a transubstanciação deva ser rejeitada e porque e vista pela Igreja Catolica Romana como um “novo sacrificio” de Jesus Cristo por nossos pecados, ou como um “novo oferecimento” ou “nova apresentação” de Seu sacrificio. Isto esta diretamente em contradição com o que dizem as Escrituras, que Jesus morreu “uma vez por todas” e não necessita ser novamente sacrificado (Hebreus 10:10; I Pedro 3:18). Hebreus 7:27 declara: “Que não necessitasse (Jesus), como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrificios, primeiramente por seus proprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele (Jesus), UMA VEZ, oferecendo-se a si mesmo.”


Voltar à pagina principal em português

O que e transubstanciação?