cristão tolerante, intolerância cristã



Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. OK | Más información
 
 

Os cristãos devem ser tolerantes com as crenças dos outros?



Pergunta: "Os cristãos devem ser tolerantes com as crenças dos outros?"

Resposta:
Na nossa era de “tolerância”, o relativismo moral e tido como a virtude suprema. Toda filosofia, ideia e sistema de fe tem igual merito, diz o relativista, e e merecedor de igual respeito. Aqueles que favorecem um sistema de fe sobre outro ou – ainda pior – afirmam ter conhecimento sobre a verdade absoluta são considerados cabeças-fechadas, não-iluminados, ou mesmo fanaticos.

É claro, diferentes religiões fazem afirmações mutuamente exclusivas, e o relativista e incapaz de conciliar logicamente contradições discrepantes. Por exemplo, a Biblia afirma que “aos homens esta ordenado morrerem uma so vez” (Hebreus 9:27), enquanto algumas religiões orientais ensinam a reencarnação. Então, nos morremos uma unica vez, ou varias? Ambos os ensinamentos não podem ser verdadeiros. O relativista redefine essencialmente a verdade para criar um mundo paradoxal onde multiplas e contraditorias “verdades” podem co-existir.

Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguem vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). Um cristão aceita a Verdade, não apenas como conceito, mas como uma Pessoa. Esta compreensão da verdade separa o cristão da tão chamada “mentalidade aberta” do hoje em dia.

O cristão reconhece publicamente que Jesus ressuscitou dos mortos (Romanos 10:9-10). Se ele realmente acredita na Ressurreição, como ele pode ter a “mente aberta” em relação à afirmativa de um incredulo que Jesus nunca se levantou de novo? Seria uma traição contra Deus um cristão negar o claro ensinamento da Palavra de Deus.

Note que nos citamos os fundamentos da fe nos nossos exemplos ate agora. Algumas coisas (como a ressurreição corporal de Cristo) não são negociaveis. Outras coisas podem ficar abertas ao debate, como quem escreveu o livro de Hebreus, a natureza do “espinho na carne” de Paulo e o numero de anjos que podem ficar em pe sobre a cabeça de um alfinete. Nos devemos evitar o envolvimento em discussões acerca de assuntos secundarios (2 Timoteo 2:23; Tito 3:9).

Mesmo ao disputar/dialogar sobre doutrinas proeminentes, um cristão deve exercer cautela e demonstrar respeito. Uma coisa e discordar de uma posição; outra e degradar uma pessoa. Nos devemos nos ater à Verdade mostrando compaixão para com aqueles que questionam a Verdade. Como Jesus, devemos ser cheios tanto de graça quanto de verdade (João 1:14).

Pedro apresenta um bom balanço entre ter a verdade e ter humildade: “Estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que ha em vos, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor” (1 Pedro 3:15).


Voltar à pagina principal em português

Os cristãos devem ser tolerantes com as crenças dos outros?