601Ped00.htm 5:24 LIVRO DA PRIMEIRA DE PEDRO

LIVRO DA PRIMEIRA DE PEDRO

Capitulos: introdução(00), 01, 02, 03, 04, 05, Introdução da Biblia.

AUTOR. Pedro, o apostolo.

Este não era o Simão Pedro do começo, impulsivo e cheio de fraquezas, a quem Cristo chamou de Simão, Mc 14:37: Lc 22:31; Jo 21:15-17, mas o Pedro que, segundo Cristo profetizou, se converteria numa rocha, Jo 1:42 - o mesmo homem que havia sido disciplinado durante anos de sofrimentos e provas, e havia sido fortalecido com o batismo no Espirito Santo. A carta, evidentemente, pertence aos ultimos periodos de sua vida.

DATA E LUGAR. Indeterminados. A Babilônia à qual se refere no versiculo 5:13, pode não ser a cidade às margens do rio Eufrates. Muitos crêem que era Roma, chamada figuradamente Babilônia.

DESTINATÁRIOS: Os eleitos espalhados atraves da Ásia Menor. Provavelmente a todo o corpo de cristãos dessa região, tanto judeus como gentios. Pedro envia esta mensagem espiritual de ânimo, instrução e admoestação, especialmente às igrejas fundadas por Paulo.

PROPOSITO. Ao escrever esta carta, Pedro obedeceu duas ordens especificas dadas por Jesus.

(1) Animar e fortalecer aos irmãos, Lc 22: 32.

(2) Alimentar o rebanho de Deus, Jo 21:15-17.

PALAVRA CHAVE. Sofrimento. Ocorre quinze vezes ou mais na carta.

TEXTO CHAVE, 4:1.

TEMA CENTRAL. A vitoria sobre o sofrimento como foi exemplificada na vida de Cristo.

SINOPSE

Saudação, vv. 1-2.

I. A salvação gloriosa.

Cap. 1.

(1) A esperança viva, centralizada na ressurreição de Cristo, v. 3.

(2) Herança incorruptivel e imarcescivel, v. 4.

(3) Poder divino mediante o qual os crentes são guardados em vitoria no meio do sofrimento.

(a) Por meio da fe, v. 5.

(b) Pelo regozijo nas provas, v. 6.

(c) Permanecendo como ouro refinado no fogo, na vinda de Cristo, v. 7.

(d) Em amor e gozo indescritiveis, v. 8.

(4) Plano misterioso.

(a) Acerca do qual os profetas inquiriram, predizendo os sofrimentos de Cristo e a gloria que seria revelada nos ultimos tempos; um anelo dos anjos, vv. 10-12.

(b) Chama os crentes ao dominio de si mesmos, à obediência à espiritualidade, à santidade e à reverência piedosa, vv. 13-17.

(c) Seu custo infinito, vv. 18-19.

(d) Escolhido antes da criação do mundo, vv. 20-21.

II. A vida do crente à luz da grande salvação.

Cap. 1. (Cont.)

(1) Deve ser purificada e regenerada por meio da verdade eterna, mostrando amor fraternal, vv. 22-25.

Cap. 2.

(2) Deve estar livre de todas as mas inclinações e anelar o leite da Palavra para poder crescer, vv. 1-3.

(3) Deve chegar a ser uma pedra viva de um templo espiritual, do qual Cristo e a principal pedra angular, vv. 5-6.

(4) Deve reconhecer Cristo como precioso, como Aquele que foi rejeitado e e pedra de tropeço para os que não crêem,vv.7- 8.

III. Posição e deveres dos crentes.

Cap. 2. (Cont.)

(1) Honoravel e santa como o povo de Deus. Devem oferecer louvor ao seu Libertador divino, vv. 9-10.

(2) Como estrangeiros e peregrinos, abster-se de desejos pecaminosos, v. 11.

(3) Deveres civis e sociais: Uma conduta irrepreensivel perante o mundo, obediência às autoridades civis, silenciando assim a critica hostil, vv. 12-15.

(4) Ser bons cidadãos, vv. 16-17.

(5) Deveres em um lar cristão.

(a) Dos servos: Devem ser obedientes e pacientes, ainda que em meio ao sofrimento injusto, agradando assim a Deus, vv. 18-20.

(b) Devem considerar a Cristo como modelo do que sofre e como Aquele que levou o peso do pecado, vv. 21-25.

Cap. 3.

(c) Das esposas: Devem ser puras e adornar-se de virtudes espirituais, vv. 1-6.

(d) Dos esposos: Devem ser considerados com suas esposas, v. 7.

(e) De todos: Devem ser amorosos, compassivos, amaveis, atentos, e perdoadores, vv. 8-9.

(f) Recordar que uma longa vida e as respostas à oração são prometidas aos que dominam a sua lingua, abandonam o mal, fazem o bem e vivem em paz, vv. 10-13.

IV. Instruções e estimulos acerca do sofrimento.

Cap. 3. (Cont.)

(1) O sofrimento por causa da justiça e motivo de gozo, não de temor, e deve estar acompanhado tanto da disponibilidade para testificar da experiência cristã como de uma vida reta, vv. 14-17.

(2) O exemplo do sofrimento vicario de Cristo, de sua obra espiritual e de sua exaltação, vv. 18-22.

Cap. 4.

(3) Os sofrimentos do sacrificio de Cristo devem levar-nos à abnegação, à consagração a Deus, e ao abandono de todos os excessos sensuais do passado, vv. 1-3.

(4) Parêntese: Instruções acerca dos deveres praticos da vida cristã, que glorificam a Deus, vv. 7-11.

(5) Não se deve estranhar as provas duras, mas sim suporta-las com gozo, v. 12.

(6) O sofrimento com Cristo e por Cristo deve ser suportado com gozo, sabendo que conduz à gloria espiritual,vv.13-14.

(7) Nunca se deve sofrer como praticantes do mal. Quando, porem, somos chamados a sofrer como cristãos, devemos glorificar a Deus e encomendar nossas almas ao seu cuidado, vv. 15-19.

V. Exortações e advertências finais.

Cap. 5.

(1) Aos anciãos da igreja, acerca do espirito no qual se deve alimentar o rebanho, vv. 1-4.

(2) Tanto jovens quanto anciãos devem ser humildes e confiantes, vv. 5-7.

(3) Advertências acerca do diabo, vv. 8-9.

(4) Bênção e saudações, vv. 10-14.

O CRISTO DE PEDRO

Fonte de esperança, 1:3.

Cordeiro do sacrificio, 1;19.

Principal pedra angular, 2:6.

Exemplo perfeito, 2:21.

Sofreu pelo ideal, 2:23.

Levou o pecado, 2:24.

Pastor das almas, 2:25.

Senhor exaltado, 3:22.

SETE COISAS PRECIOSAS nas cartas de Pedro.

As provas severas, 1:7.

O sangue de Cristo, 1:19.

A pedra viva, 2:4.

O proprio Cristo, 2:6.

O espirito manso e tranqüilo, 3:4.

A fe do crente,2Pe 1:1.

As promessas divinas,2Pe 1:4.

Capitulos: introdução(00), 01, 02, 03, 04, 05, Introdução da Biblia.

Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. OK | Más información
601Ped00.htm 5:24