19Sal039.htm 53:12 19-Salmos Capítulo : 39

Capitulos: introdução(00) , 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 48, 49, 50, 51, 52, 53, 54, 55, 56, 57, 58, 59, 60, 61, 62, 63, 64, 65, 66, 67, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 75, 76, 77, 78, 79, 80, 81, 82, 83, 84, 85, 86, 87, 88, 89, 90, 91, 92, 93, 94, 95, 96, 97, 98, 99, 100, 101, 102, 103, 104, 105, 106, 107, 108, 109, 110, 111, 112, 113, 114, 115, 116, 117, 118, 119, 120, 121, 122, 123, 124, 125, 126, 127, 128, 129, 130, 131, 132, 133, 134, 135, 136, 137, 138, 139, 140, 141, 142, 143, 144, 145, 146, 147, 148, 149, 150, Introdução da Biblia.

19-Salmos Capitulo : 39

1 Disse eu: Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha lingua; guardarei a minha boca com uma mordaça, enquanto o impio estiver diante de mim.

2 Com silêncio fiquei qual um mundo; calava-me mesmo acerca do bem; mas a minha dor se agravou.

3 Encandeceu-se dentro de mim o meu coração; enquanto eu meditava acendeu-se o fogo; então com a minha lingua, dizendo;

4 Faze-me conhecer, o Senhor, o meu fim, e qual a medida dos meus dias, para que eu saiba quão fragil sou.

5 Eis que mediste os meus dias a palmos; o tempo da minha vida e como que nada diante de ti. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, e totalmente vaidade.

6 Na verdade, todo homem anda qual uma sombra; na verdade, em vão se inquieta, amontoa riquezas, e não sabe quem as levara.

7 Agora, pois, Senhor, que espero eu? a minha esperança esta em ti.

8 Livra-me de todas as minhas transgressões; não me faças o oprobrio do insensato.

9 Emudecido estou, não abro a minha boca; pois tu es que agiste,

10 Tira de sobre mim o teu flagelo; estou desfalecido pelo golpe da tua mão.

11 Quando com repreensões castigas o homem por causa da iniquidade, destruis, como traça, o que ele tem de precioso; na verdade todo homem e vaidade.

12 Ouve, Senhor, a minha oração, e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lagrimas, porque sou para contigo como um estranho, um peregrino como todos os meus pais.

13 Desvia de mim o teu olhar, para que eu tome alento, antes que me va e não exista mais.

Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. OK | Más información
19Sal039.htm 53:12